PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


História do Fórum Europeu

 

 

A ideia nasceu em 1952 durante um encontro de Lions Franceses e Italianos. Desde 1953 e com excepção em 1957, um encontro anual tem acontecido em vários locais pela Europa. Em 1998, o Fórum foi pela primeira vez para a Europa de Leste, Budapeste, para assinalar os 10 anos de Lionismo na Hungria. 

O Fórum era o local na antiga Roma onde as pessoas se encontravam para trocar experiências e comparar novas ideias – o Fórum Europeu oferece a mesma oportunidade. No velho continente, os últimos 20 anos têm sido marcados por grandes alterações, com a irreversível construção da União Europeia e o crescimento do Conselho Europeu para incluir 47 países, desde o Atlântico até aos Urais.

Os Lions Europeus aceitaram estas alterações, actualizaram-se, afinaram o modus operandi e as ferramentas para melhor prestar o Serviço à Comunidade. Apesar de tudo, os ideais e objectivos do Fórum mantêm-se essencialmente os mesmos:

  • Promover a mútua compreensão e amizade entre os membros Lions na Europa;
  • Estabelecer um Fórum para a livre troca de experiências e discussão de ideias;
  • Promover os ideais do Lionismo;
  • Promover a Fundação de Lions Clubs International (LCIF);
  • Promover e implementar o serviço e os ideais indicados pelo Presidente Internacional. 

Para além da introdução de um tema geral ou lema em cada ano do Fórum, as nossas reuniões nos últimos 25 anos foram marcadas por datas importantes: 1978, 1983, 1994 e 2001. 

Em 1978 em Torremolinos, o Concelho Europeu, estrutura governativa do Fórum, decidiu solicitar ao Conselho da Europa, à luz do serviço público prestado pelos Lions Europeus pela especial contribuição para os fundamentais direitos humanos, a declaração de Organização Não Governamental (ONG). Ficou também decidido em Torremolinos, que o representante dos Lions Europeus em Estrasburgo, fosse o incumbido Presidente do Fórum. A decisão de Torremolinos e o comité criado para o acompanhamento do trabalho dos representantes dos Lions em Estrasburgo, permitiram à Associação de Lions Clubs, em 1992, solicitar o estatuto de membro ONG com assento permanente no Conselho da Europa.

Em 1983 no Fórum de Veneza, foi aprovada uma nova actualização do enquadramento legal – marcou a conclusão do trabalho iniciado em Turku em 1980 e continuado pelo denominado EFEC, o Comité Explorativo do Fórum Europeu. Em Veneza, assistiu-se também ao nascimento do gabinete coordenador - EFADACO, com um mandato para a prevenção do abuso de drogas.   

O Fórum de Limasol em 1990, traçou o caminho para o Fórum se tornar num ponto de convergência para o serviço e acção comum dos Lions Europeus e assim atender às necessidades Europeias. Este foi também o Fórum que introduziu o tema ou lema anual - pedra angular ou marco para as acções Lions em distintas áreas. 

Em 1991 no Fórum de Istambul, foi manifestada a necessidade de se afinarem as ferramentas operacionais de modo a tornar o Fórum anual mais efectivo.

Em Berlim em 1994, foram introduzidas as alterações estruturais indicadas nos estudos conduzidos desde 1991. Uma consciência mais ampla da nossa responsabilidade continental permitiu a aprovação por unanimidade no Fórum de Berlim, de uma declaração que seria a base para o plano de acção do primeiro serviço europeu: a reconstrução de cinco escolas na Bósnia apoiados por recursos de cerca de 650.000 €.

Em 1998, em Budapeste, foi manifestada a necessidade de aperfeiçoar a organização do Fórum para melhorar a qualidade das experiências trocadas e permitir uma maior flexibilidade para permitir que qualquer Lion Europeu faça a sua contribuição.

A cuidadosa análise efectuada ao longo de três anos pelo grupo de trabalho encarregado desta tarefa, conduziu à adopção da actual estrutura do Fórum, na reunião do Porto, em 2001. Os tradicionais PEC’s (Comissões Europeias Permanentes) foram dissolvidos em favor de uma série de seminários interactivos sobre temas que podem ser propostos pelos países membros, mas que deve ser aliada ao tema geral do Fórum e das principais vertentes de actividade

Os Lions Europeus são agora convidados para ajudar a analisar os resultados e spin-off dos novos objectivos que o Fórum fixou:

  • Proporcionar novos contributos e ideias para os Clubes, Distritos e as actividades do Lions na sociedade multicultural Europeia;
  • Análise e discussão dos relatórios dos representantes da Associação em organizações internacionais sediadas na Europa: o Conselho da Europa, a OMS, FAO, UNESCO, UNICEF, e os escritórios da Organização das Nações Unidas em Genebra e Viena;
  • Oferecer a possibilidade de discutir e analisar as necessidades da sociedade europeia e como desenvolver actividades de serviço comum para o bem de todos os membros da sociedade multicultural da Europa.

Para reforçar o facto de que estes acontecimentos não deixam de ser parte de um contínuo movimento, as novas normas permitem ao Comité do Programa incluir na Agenda, no início do Fórum, questões de grande actualidade e interesse. Após esta visão geral dos objectivos do Fórum e as oportunidades que oferece, vamos passar em revista alguns dos eventos mais importantes do Fórum:

  • o primeiro exemplo de actividade de serviço que envolve duas áreas constituintes: Europa, África e Sudoeste Asiático. O instrumento operacional é o Comité Euro-Africano criado em Nice em 1975 e que está operacional ainda hoje;
  • em 1973, graças ao empenho dos Directores Internacionais de então (Dall, Grimaldi e Van Wingarden), a Directoria aprovou o primeiro conjunto de regras que regulamentam as obrigações do Fórum;
  • em 1973, em Estocolmo, foi tomada a decisão de nomear um Arquivista para acompanhar a evolução dos Estatutos do Fórum, do fluxo de informações e actividades. Esta tarefa foi realizada pelo PDG Jim Bolton do MD-105 (Ilhas Britânicas e Irlanda) de 1973 a 1997. Começando com o Fórum de Veneza, em 1983, a tarefa do Arquivista foi combinada com a de Conselheiro. O Fórum Europeu, continua a ser o único dos 5 Fóruns da Associação a ter esta função que garante que os registos, são mantidos para consultas futuras;    
  • o ano de 1964 viu o primeiro acordo de um sistema de rotação de Directores Internacionais Europeus. O acordo foi posteriormente integrado em 1971 no Fórum de Palma de Maiorca, em 1986, no Fórum de Aarhus e, novamente no Fórum de Roterdão em 1995. O cumprimento da regra internacional que não permite a nomeação de dois membros do mesmo Distrito Múltiplo a cargos internacionais no mesmo ano, traduziu-se em que certas alterações intermediárias tiveram que ser feitas na Presidência Internacional Europeia. Estas alterações foram aprovadas no Fórum de Torremolinos em 1978, Veneza em 1983, Génova em 1992, Deauville em 1996, e Budapeste em 1998.
  • de 1976 a 1995, o European Forum Bulletin (EFB) foi graças ao empenho generoso e inteligente do falecido Martinenghi Carlo, a primeira e única publicação Lion Europeia a dar informações sobre o Fórum  e actividades de serviços. Foi graças ao EFB que a reunião de Editores Chefe das várias edições da The Lion, tornou-se uma característica permanente de cada Fórum.
  • as contribuições Europeias durante o início dos anos 80 na área da prevenção do abuso de drogas abriu o caminho para a adopção da Declaração de Lugano em 1982. Como resultado, os Lions Europeus criaram uma secretaria permanente junto da AIDD em Milão e nomearam um coordenador europeu. O EFDACO (Fórum Europeu de Coordenação do Abuso de Drogas) permitiu uma rede de monitorização e a criação de uma publicação com seis relatórios anuais. Além disso, o primeiro sábado de Maio, tornou-se o “Dia Europeu do Lions na Luta contra a Dependência de Drogas”.
  • de 1976 até ao Fórum de Paris em 1985, um seminário era dedicado à questão de uma Europa unida. A abordagem do tema foi sempre em sintonia com os nossos ideais mais elevados, ou seja, melhorar o progresso da comunidade, neste caso, a comunidade da Europa.
  • o foco constante a partir de 1989 tem sido a divulgação do Lionismo em países da Europa Oriental, com seminários e actividades coordenadas que continuam até hoje.
  • no Fórum de Istambul em 1991, nasceu a formação do sub-comité para o Concurso de Música, dando assim, uma nova oportunidade para jovens talentos europeus ganharem o reconhecimento.
  • no Fórum de Limasol, em 1990, tornou-se cada Fórum dedicado a um tema ou lema para todas as actividades -  juventude, formação, relações internacionais ou intervenções sociais - direccionadas para um objectivo comum Europeu. Por exemplo, o Fórum de Génova de 1992, após a queda do muro de Berlim e com a perspectiva de países do Leste Europeu retornarem à democracia, o tema essencial colocou ênfase na responsabilidade individual: Europa dos Cidadãos: Cada Um Responsável Pela Sua Própria Consciência.

Os Fóruns, visam expressamente "proporcionar uma oportunidade para o debate aberto de possibilidades e da avaliação das necessidades europeias, para as actividades de serviço comum numa sociedade multicultural na Europa para benefício de todos os povos".

Os Fóruns Europeus têm ajudado a difundir o Lionismo na Europa, juntamente com uma percepção comum sobre as questões europeias. Contribuem para a divulgação de uma capacidade de avaliar situações a partir de uma perspectiva que ultrapassa as fronteiras dos Estados-nação individuais.

Como Europeus, as nossas actividades de serviços são concebidas e realizadas dentro do quadro geral da boa cidadania, que sustenta os mais altos ideais do Lionismo. O Fórum é, portanto, um evento vibrante. É uma ferramenta dinâmica para os Lions Europeus, que lhes permite olhar com clarividência para o futuro.

Devemos também estar cientes de que o Fórum não é o lugar para abordar as questões estruturais da Associação. Essas são questões exclusivamente para a Directoria Internacional e da Convenção. O Fórum pode no entanto, ser o local para recolher ideias e propostas para apresentar à Directoria Internacional pelos seis Directores Internacionais Europeus.

Com os métodos de funcionamento do Fórum e as estruturas agora mais em sintonia com os tempos, é de se esperar que a participação será cada vez mais ampla. Para este efeito, as edições nacionais da LION são chamadas a difundir informação e actualizações regulares.